Clareamento Dentário

por | 21/04/2017 | Odontologia Estética, Tratamentos |

Todos sabem que dentes bonitos e saudáveis são um cartão de visita e tanto. Além de chamarem a atenção positivamente, em certos casos podem até auxiliar a vida profissional. Embora as manchas comecem a se formar cedo, ainda na infância, os efeitos ficam mais evidentes a partir dos 30 anos. Assim, o escurecimento dental tem sido uma preocupação, haja vista, entre outras conseqüências, o fato de ocasionar à pessoa uma expressão mais envelhecida.

Tipos e causas de alterações de cor nos dentes:

Há dois tipos de alterações de cor nos dentes: manchas extrínsicas e manchas intrínsicas. Aquelas são provocadas, entre outras coisas, pelo consumo de bebidas que contenham corantes – chá preto, café, refrigerantes – e por produtos como cigarro. O acúmulo de placa bacteriana e de bactérias cromogênicas na superfície dental também é causa de manchas extrínsicas. Já as manchas intrínsicas podem originar-se de má formação do esmalte e/ou dentina do dente, do uso de antibióticos, consumo excessivo de flúor, traumatismos, idade, cáries, tratamento de canal etc.

Tratamentos existentes para corrigir as alterações de cor nos dentes

Dentro da odontologia moderna, existem inúmeros tratamentos para problemas relacionados a alterações de cor dos dentes, dos quais pode-se citar:
Profilaxia com jato de bicarbonato de sódio: Utilizado em casos de manchas provocadas por chá, café, cigarro, corantes, placa bacteriana, bactérias cromogênicas etc.
Microabrasão: Utilizado em de manchas branca(ex: fluorose).

Clareamento dental: Utilizado em casos de dentes amarelados, em alguns casos de escurecimento dental causado por antibiótico e flúor, assim como em dentes tratados endodonticamente (tratamento de canal) que apresentam alteração de cor.

O que é o clareamento dental e quais são suas técnicas?

O Clareamento dental é a técnica na qual se utilizam substâncias químicas visando remover manchas e pigmentações dos dentes dando-lhes uma cor mais clara e natural. Existe o clareamento caseiro e o clareamento em consultório.

Clareamento caseiro: O dentista confecciona uma placa de acetato para o paciente que serve para reter o produto clareador em contato direto com os dentes. O paciente usa a placa fora do consultório durante 2 a 3 semanas sob supervisão do profissional.

Clareamento em consultório: O paciente é submetido a, em média, duas sessões de aproximadamente 1 hora, onde o produto clareador (mais concentrado) é aplicado sob controle, com os dentes isolados, para evitar que entre em contato com gengivas e mucosas. O produto pode ser auto-reagente ou ativado por laser. No caso do laser, um gel à base de peróxido de hidrogênio é aplicado sobre a superfície externa dos dentes. O laser, então, é posicionado sobre este gel, ativando a liberação de moléculas de oxigênio, promovendo um clareamento mais rápido e por meio da quebra das ligações químicas das pigmentações existentes no dente.

É importante salientar que a penetração do produto clareador no dente poderá causar sensibilidade nas primeiras horas após o procedimento, sendo plenamente suportável. Já em contato com tecidos bucais, o produto clareador poderá provocar desconforto doloroso e alteração de cor (o tecido gengival torna-se esbranquiçado), sendo situações reversíveis em um curto espaço de tempo.

O resultado do clareamento dental é melhor observado após 15 dias da realização do procedimento. Durante este período o produto continuará liberando oxigênio. Portanto é recomendado que se evite a ingestão de alimentos ou uso de qualquer produto que contenha corante, tais como: suco de uva, acerola, vinho tinto, beterraba, cenoura, café, piqui, chocolate, refrigerante etc. Evite, também, cigarro e batom de cores fortes.

Comentários
Share This